Lua

Padrão

wirth-oswald-tarot-18-la-lune-the-moon-1241771.jpgA lua, desde o alto, reflicte a sua luz branca sobre o poço profundo da lagoa. A superfîcie da água, espelha e cintila coma azougue silente e encorado.
Dous cães negros ouveam em silêncio em cada em sua beira, as suas faces ergueitas cara o ceu.

Um caranguejo vermelho xorde, ateitinhando,na procura da terra firme.

Num recanto,aló ao longe, hà umha fogueira. Dirigimos os passos para alá, encantados, ao alviscar o lume. Quando ja estamos perto,e imos nos achegar, ficamos aterrados: A pele eriçada e a gorja anoada, ampeando pola angústia.

Meia dúzia de pessoas-homens, mulheres e meninhos-, comem carne humana -pernas, miolos, e mesmo olhos tirados das suas cuncas- arredor do lume em silêncio,sem apenas se mirar…

« La nuit, le chien observe la face de la Lune comme si c’était un miroir, et le contemplant, il croit qu’il y a un autre chien et il se met à aboyer sans répit ; mais sa voix vainement se perd dans le vent tandis que Diane poursuit son voyage nocturne – impassible ».

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s