As estrelas

Padrão

animeer_10As ideias são estrelas fugaces a cair na superfîcie do mar.

O mar da conciência, escuro e quedo,ilumina-se com cada estrela que cai, desde o céu interior, viajando por caminhos cósmicos de serotonina.

Há datas sinaladas para as estrelas. Chûvias de estrelas fugaces , que caem, a eito, acendendo a superfîcie escura coa luz do seu arder. Pontos de luz que se consomem e se apagam, sem mais, ao contacto coa água.

De onde é que vem essas estrelas que chovem sobre o mar da nossa mente? De que galaxia lonjana de Leónidas e Perseidas procedem ?

Há, no mais fundo de nós, um ponto. Um espaço vazio que lateja. Um centro no que pende o péndulo do tempo do nosso coração, que se vai debulhando em cada oscilação.

Em esse ponto geram-se as estrelas e as galaxias do nosso pensamento. Aí fica o motor que move o nosso universo. De aí foge a vibração que depois tomará forma mais arriba, na superfîcie do océano, desenvolvendo seu patrão para aparecer co seu aspecto vissível diferente.

Mas, na realidae, tudo é um sonho. Umha chuva de estrelas momentánea. O único real é esse ponto. O ponto central equidistante que somos,desde o nosso nacemeto até a dissolução…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s