Monthly Archives: Maio 2007

Tempos de labirintos

Padrão

Pois por fim chegou o dia de irmos votar. E fomos. E o partido que levava governando perto de 20 anos em maioria absoluta perdiu-a.

E a senhora que prometiu balneários, carrís-bici polas costas arriba, Alejandro Sanz, Shakira e audiovisuais para os pacientes que aguardam turno no Centro de Saude subiu.

E outros, que trabalharom todo o ano arreio ajudando aos vizinhos no que se podia, ficarom o mesmo.

Agora hà quinielas , e até o 16 nao imos sair de dúbidas.

Cousa importante:

Perderom-se muitas maiorias absolutas e houve concelhos que levavam mais de meia dúcia de candidaturas.

Pessoalmente, parece-me bem que se perdam as maiorias absolutas. Gosto da pluralidade.

Também de que os cidadãos e cidadàs se juntem para melhorar seus concelhos.

Agora, esperar.

Tudo pode mudar, cara umha meirande pluralidade e, por ende, maior liverdade, ou seguir igual, se algumha das possibilidades que se baralham se cumple.

Cuido que os vizinhos de Vimianço, na sua maioria, prefirem a primeira opção. Assim o expresarom o domingo.

mandala22.gif

Esto é um vinde-o ver

Padrão

Jà vos falei onte da campanha eleitoral do meu concelho.

Da senhora que levava coma eixe da campanha o do Balneário de Thalasoterápia, ademais de trazer a Alejandro Sanz e Shakira a cantar a Vimianço, porque seica tem amizade com seu advogado, que onte nao me lembrei de vo-lo contar. Saiu en La Voz, nao vaiades pensar que o sonhei numha nuite de mal-durmir.

Bom, pois hoje, é dia de feira em Vimianço e, como jà é hora de queimar a derradeira artilheria, a feira vai ser um espectáculo.

Sem mais. A tal hora, tomava eu um chà na de minha irmà, quando minha sobrinha mais eu ouvimos um ruido dum motor que vinha de acima, do ar.

Saimos ao balcao, para ver, e…Nao vos digo mais. Era umha pessoa num parapente desses com motor, e desde abaixo, quando che passava à altura da cabeça, podias ler:
“VOTA ALEJANDRO”.

E digo eu. Nao lhe chegaria com a pirámide fartaónica e a megafonia, que tem que mandar a um polo ar , coma um Superman a motor?

Eu nao me quero meter nas cousas que cada quem faça para sair alcalde, mas estes dias estou a ver cousas que nunca pensei que fossem passar em Vimianço.

Amais de tudo esto, também vejo outras cousas que me aledam: A gente jà nao tem medo de ir às reunioes de quaisquer dos candidatos, de falar, de opinar, de se amosar em público tal e como pensa.

Penso que em esso, tem muito que ver a caida do monopólio político do PP de Fraga, que era umha continuaçao do franquismo, e a asunçao de tarefas políticas de governo por parte do BNG.

Semelha que, por fim, as cousas se vao normaliçando, mália o jogo sujo de algúns que seguem empecinados no feudalismo.

anil0092.gif

De eleiçoes e outras lérias

Padrão

Estes últimos dias andamos com músicas e mensagens lançados desde camionetas com torres piramidais,com retratos do nosso alcalde, suposso que para ir a jogo com a nova casa da Cultura, a obra, segundo as suas palàvras, mais faraónica dos contornos. 2 milhões de euros já dão para a pirámide de Keops, polo menos.

Megafonias e cartazes que se juntam o dia da feira e dão voltas à vila uns diante e outros atrás.Esso sim, uns com muito mais volume de megafonia e volume de pirámide.

Mas o mais engraçado que puidem ouvir em Radio Nordés e ler na prensa estes dias, forom as opiniões, projectos e cartazes dumha das candidatas pendurada num cruzeiro, que fixo várias promesas bem curiosas.

A senhora seica é de Paléncia, e ejerce a sua profissão de médica aquí em Vimianço

Pois não se lhe ocorre a boa da mulher prometer um Balneário , suposso que de Talasoterápia, aló em Sabadelhe, lugar no que o mar banha o nosso concelho,entre Traba e Camelhe, fermoso, por certo, ao que só se pode acceder por entre os penedos, os toxos e as carrascas.

Também falou de esportos alternativos ao futebol, como pistas de tenis e hípica e, sobre tudo, algo genial:

Seica no Centro da Saúde, mentras os potenciais doentes aguardam, o balbordo das conversas sobe decibélios.

Para evitar ruidos, ela propõe pór umhas mamparas para que em cada umha se projecte um audiovisual e assim, os pacientes fiquem calados.

Digo eu que os audiovisuais serão ajeitados à doença de cada quem. Videos porno para os transtornos sexuais, receitas de dieta mediterranea para os do colesterol alto, anti-tabaco para os fumadores…

Não se me ocorre que podem pór para os enfermos mentais.

“El Resplandor”, tal vez?

201.gif

Sonhos

Padrão

Às vezes umha sonha cousas intrascendentes, outras sonha sonhos simbólicos e até premonitórios.

As mais das vezes, umha, quando acorda, amanhà, nao lembra os sonhos.

Hoje, justo antes de espertar, umha frase soava na minha cabeça. A frase era esta:

“Se estou no meio dos pinos, como vou encontrar o caminho da memória?”

Nao sei como interpretar essa frase, mas, lembrando os caminhos que percorrim estes dias por pistas de monte, imaginei que bem podia ser a voz da terra.

Da Galiza, em concreto.

Ou de calquera parte da terra onde lhe deturparam a própria alma , que sao os bosques e o mar, para substitui-los por algo foráneo, que da mais dinheiro a curto praço.

Pode que a minha interpretaçao vos semelha umha parvada, ou umha toleria, mas eu sinto hà muito tempo essa sensaçao que, hoje, a través dessa porta que nos comunica com os sonhos, o soto onde dormem os símbolos em imagens, em palàvras, chegou até a minha conciência.

Sobre mulheres, culturas e fóbias

Padrão

Estes dias apareceu nos tele-jornais umha nova estarrecedora.

Umha moça de etnia kurda, umha adolescente de 17 anos, apedreada pola sua família e vizinhos por se mudar de religião ao Islão.

Normalmente é a religião islámica e a cultura que a arrodeia a que tem a sona de apedrear às mulheres, fazer ablações de clítoris e demais aberrações que sofrem as mulheres de todo o mundo.

Mais olhai senhoras e senhores que seguides “O escunchador”.

Uns capítulos mais atrás olhavamos a Olimpia de Gouges guilhotinada pola laica, liberal e civil Revolução Francesa, tão adorada. Só por pedir os mesmos dereitos para as mulheres que figuravam na declaração de “Dereitos do Cidadão” dada pola revolução.

Também como, durante a República espanhola, havia mulheres de esquerdas, inteligentes universitárias, que se opunham ao voto feminino por o considerar, a priori, mais consevador.

Cada dia sabemos de algúm homen que ainda não fui quem de asumir que as mulheres somos pessoas e não objectos da sua propriedade. Por esso as acuitelam, queimam, desfiguram ou lhe fam a vida iumpossível-Ou minha, ou de ninguém-.

Tudo esto, vem a que a questão das mulheres e os seus problemas, não sao património de nemhumha cultura, étnia, religião ou ideologia.

São fruto do machismo arraigado no inconsciente da humanidade após de tantos anos de sociedades patriarcais.

Mentras não asumamos esso, o único que faremos será pôr balões fóra, botar-lhe a culpa a outros, fomentar a xenofóbia gratuita e contribuir a que o problema se enquiste cada vez mais, no Kurdistão, em Nigéria ou entre nós, que tanto tem.

As mulheres que cada dia são maltratadas, humilhadas e até mortas pola mentalidade patriarcal déspota e absolutista, sofrem o mesmo em quaisquer parte do mundo.

Outra cousa é a existéncia de leis que nos protejam e aí, sim que as mulheres europeias somos privilegiadas, porque a nossa sociedade tem leis mais justas que as de outros paises, onde o patriarcado ainda não evoluiu a nível político.

Mas, não nos enganemos. A violéncia contra as mulheres não é património de culturas, religiões ou étnias.

É únicamente umha consequéncia das ideias patriarcais e machistas que a humanidade indoeuropeia e as culturas que gerou, vem arrastrando dende que os primeiros guerreiros procedentes das Mesetas Centroeuropeias e Asiáticas, e logo as ideias semíticas, patriarcais também, invadiram às culturas matrilineais da Natureça, a Fertilidade, a Terra mãe e as cidades sem muros arredor, como as de Creta, ou Mohenho Daro , na India.

Mentras não nos libremos da mitologia homérica, com seus herois guerreiros, sanguinários e únicamente varões, e os consideremos simplesmente umha etapa da história,assim como das ideias represoras da sexualidade feminina das culturas semíticas, nunca chegaremos as mulheres a ficar a salvo da violéncia.

Nem tampouco os povos mais febles, indefensos e menos preparados para a guerra do planeta.

Nem sequer o Planeta fica a salvo. Porque a filosofia homérica, após dous mil anos e pico, chega a tal ponto de justificar explossões nucleares no mesmo útero da terra, sem respeitar sequera à mãe universal que nos nutre e nos agasalha com seus frutos e sua beleça.

Agora jà andam matinando em ir embora para outros planetas quando rematem com este.

Nas nossas mentes fica a solução a tanta desfeita. Respeitar o feminino e às mulheres, pode significar a salvação e a evolução da nossa sociedade cara maiores cotas de liverdade e felicidade. Para esso, só hà que mudar o “chip”.

É difícil mudar umha pauta de miles de anos, mas não impossível.

As mulheres de todo o mundo tem que tentar equilibrar a balança,e esso é possível dentro de quaisquer cultura, religião ou étnia.

Só hà que minar as pedras dos alicerces da sociedade. Pinga a pinga. Como a àgua.

A àgua é o elemento feminino por exceléncia. A àgua; os fluidos, a persisténcia.

Assim é como o mar fura a pedra. E a desgasta até a tornar areia dourada.

Ou bate com força contra os cons da ribeira até os fender.


61.gif

Juan sin Tierra

Padrão

38205_Viva___Mexico___Libre_0.JPG

Nao podiamos rematar esta galeria de personagens sem falar do mais importante e protagonista de todas as revoluçoes:

Juan Sin Tierra.

Nao pudem atopar a versao original de Victor Jara, mas com esta, de SKA-P, e Hechos contra el Decoro, trato de lembrar a todos os Juan sin Tierra do Mundo, os que ainda nao faz sua revoluçao, os que andam nela e os que jà a fixeram e ficaram desilusionados com o reesultado.

Porque o ser humano é assim. Ainda nao evoluiu suficiente.

Para mostra, este botao do senhor Oscar Chavez, com motivo da privatiçaçao de PEMEX que se poderia aplicar às duas terzas partes do nosso mundo.


eagle22