O Pai Natal. Um mutante que vem de longe

Padrão

A figura do pai Natal é nova na Galiza. Na minha geração, ainda não tinhamos o prazer de conhecer a este velho rideiro do Ho Ho Ho!

O velho paternalista, existiu em Grécia como Cronos, em Roma como Saturno, e nos caminhos nevados de Centroeuropa, como o Senhor Inverno.


Tem seu referente histórico em São Nicolás, bispo de Myra, umha cidade da antiga Licia, que hoje corresponde a Turquia.

Viviu no século IV, e no século XI, o seu sartego de mármore, fui transladado por uns marinheiros à cidade italiana de Bari, onde se venera como São Nicolás de Bari.

Já nos primeiros anos, a sua lenda fala de que era defensor das crianças e que sempre tinha para eles agasalhos .

Numha ocasião, um pai queria casar suas filhas, mas não tinha dote, porque ficava na ruina. São Nicolás, sem que soubessem, entrou na casa e deixou três saquetas de ouro ao pé da cheminé. Umha para cada filha.
Contam, mesmamente, que havia um pousadeiro no seu lugar, que matou a três clientes -moços- bébedos para lhe roubar os cartos e depois agachounos na pipa do vinho.. Quando São Nicolás soube, resucitou aos moços e reprendeu ao taberneiro.

Vedes como jà encetamos o que é o mito: Factos mágicos em linguagem simbólica. Seguramente haverá que se escandalice porque faz a leitura racional. As crianças, sabem encaixar as peças no quebra-cabeças do pensamento simbólico -se não sodes como meninhos não podés entrar no reino-.

Quando vem a Reforma de Luther, o alemão, tenta mudar ao portador dos agasalhos, para que for o meninho Xesús o dia 25, e marcar diferencias com os católicos, mas a sua ideia não tem éxito, porque Sáo Nicolás, que fazia os agasalhos na noite do 5 ao 6 de janeiro, muda o dia para o 25 de Dezembro, para desbancar ao meninho. Como vedes, quem move aos mitos também tem sua parte pragmática.


Onde colhe mais força o mito de São Nicolás, é em Holanda, onde se conhece como Sinterklaas -Sint Nicolaas-.

Sinterklaas, segundo a tradição holandesa, vem de Espanha -Como sabedes, Bari, onde repousam os restos de São Nicolás, pertencia a Coroa de Aragom e mais tarde a Espanha- num barco de vapor e montado num cavalo branco. Tem um ajudante preto, chamado Zwarte Piet -Pedrinho o Preto- A respeito deste detalhe, há várias interpretações: Há que diz que São Nicolás libertou a um meninho escravo etíope no mercado de escravos da sua cidade, e agora, agradecido, acompanha-o, e há quem explica a color dizindo que é um italiano que se adica a limpar o felugem das cheminés. Como queira que seja, na tradição holandesa, é o Zwarte Piet quem baixa polo tubo da cheminé para deixar os agasalhos. Os Canadianos que ajudarom a Holanda na II guerra mundial, engadem-lhe mais Zwarte Piets enredantes e brincadores que, desde aquela, acompanham ao distinguido e sério Sinterklaas.

Quando os holandeses coloniçam as costas de América do Norte, fundam umha cidade chamada Nova Amsterdam e importam a figura do Sinterklaas. Construen umha estátua e celebram sua festa.

Mais tarde, os ingleses arrebatam-lhe a cidade, e o Sinterklaas pasou a ser o Santa Claus dos anglo-falantes.

Mais tarde passa a Inglaterra e, de alí, a França, onde lhe chamarom Papa Noël. Pai Natal.

Pouco a pouco, vai desbancando a outros seres paganos que fazem agasalhos: O Apalpador, na Galiza, A fada Befana, em Itália, o Olentzero, em Euskadi, o Tió, em Catalunya, e aos diferentes duendes, velhos e fadas de toda Europa.

                    apalpa-leandrolamas3

 

 

 

 

 

A imagem do Pai Natal fui mudando com o tempo.

De ser um bispo alto e fraco, como o representam em Rúsia e paises ortodoxos, passa a ser um velho com barba branca, roupa e capa vermelha e caxato de bispo.

No Norte, veste pantalões, botas altas de neve e pucho.

Mas, a transformação definitiva produz-se no ano 1930, quando os dirigentes da Coca-Cola, o vestem com traxe vermelho com orelos brancos, as cores da marca, um cinto negro e barriga prominente e cara feliz.

coca-cola_santa_claus_1963-610x637

Colheram ao mito, e volveram-o marketing

 

Fui o sinal de saída para a carreira da comercialização masiva de mitos, símbolos, ícones e demais elementos sagrados da fantasía humana no decorrer da história.

Todo se vende e todo se compra. è o que há.

 

Felices Festas.

Anúncios

6 responses »

  1. Creo que Nova Amsterdam pasou a chamarse máis tarde Manhattan. E Sinterklaas traialles ós nenos laranxas da península. Unha das poucas cousas boas que lles deu Espanha aparte de linchamentos e intolerancia relixiosa e para máis inri é só unha lenda.

  2. Pingback: Asegurándome de non perder » Blog Archive » decembro2007

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s