Flores que ainda não são

Padrão

q0psuando era umha rapariga e no meu colégio de freiras explicava o professor de física o que era a energia cinética e a energia potencial, não era quem de compreender o significado desta última.

Energia potencial…Algo que aparece estático aos nossos olhos, não pode ter energia…

Mais tarde, aprendi que os olhos não sempre percebem tudo o que passa ao nosso arredor.

Este ano, como é o primeiro que passo na casa, toca plantar plantas polo horto, para ter, nos anos que venham, as colores e os aromas das flores quando comece a primavera, como os tulipãs, narcisos, jacintos, anémonas, calas e demais que vos mostrtei onte.

Mas hà também inçadas pola horta, umha varas cheias de energia potencial, que me dou minha irmã da sua horta, e que, cada dia vou abesulhar para ver se a energia potencial se traduz em energia cinética de gromos, abrochos e incipientes folhinhas que me confirmem que, de verdade, existe polo método empírico.

O certo é que as varinhas vão-se comportando e tem seus gromos e suas folhinhas bem bichas, cada dia umha miguinha mais abertas.

Vou vos explicar três dos arbustos que tenho espetados em forma de póla no hortelo que pretende ser jardim.

A primeira, é umha flor de color branca, cum aroma tão delicado e dóce, que me leva até a minha infáncia, aló polo mês de Maio, quando a igreja se enchia de flores e eu, meninha, ficava borracha de aromas e de músicas, tal como ocorreria numha celebração pagã de há muito tempo:

O incenso, o Pange Lingua Tantum Ergo, que, como não sabia o significado, soava-me ao canto dos anjos do paraiso,tantum_ergo_1.mp3 e o aroma das celindas, umhas flores originárias do Caucaso e Arménia, mas que florescem na maior parte dos hortos e jardins da Galiza:

normal_celindas%201.JPG

As celindas, para mim, vão associadas ao mês de maio e a aqueles rituais adicados à deusa mãe, com sua coroa de doze estrelas e a lúa e a serpe aos seus pés:

Inmaculada.JPG

Adoro seu aroma e aguardo o momento de as ver florescer no meu horto.

Outra planta que também plantei, foi umha póla de pirliteiro, ou espinheiro alvar, planta que tem umhas flores tão delicadas e uns frutos vermelhos preciosos.

O pirliteiro, lembra-me os bosques e as beiras do rio, onde medrava salvagem na minha infãncia. Agora, com as repovoações de eucaliptos, já não se ve apenas.

Também me lembra o romance do Conde Olinos, quando ele e a sua princesa amante, são enterrados baixo do altar, por ordem da rainha, e dela nasce umha rosa branca, e dele um espinheiro alvar, que logo a rainha mandou cortar.

O espinheiro alvar é delicado, muda com as estações e é libre, polo momento. Ainda que espero que se acomode ao meu horto.

Velaí as imagens das flores e dos froitos:

Crataegus%20monogyna.JPG frutos%2Bdo%2Bpilrriteiro.JPG

Amanhã seguirei apresentando-vos as flores que ainda não são, do meu hortelo, que tem energia potencial para ser um jardim. Só falta que a transforme em energia cinética.

Onde andará o meu professor de Física?

top12fh9

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s