Monthly Archives: Junho 2009

O XIV Asalto Irmandinho de Vimianzo, já está aquí.

Padrão

2654904463_8fca58d99f_oComo cada ano, a “Asociación Axvalso” de Vimianzo, na Terra de Soneira, na Costa da Morte, prepara a festa conmemorativa do asalto à fortaleça dos Mososo, como há mais de quinhentos anos, figeram Os Irmandinhos, aquela gente do comum organizada para lutar polos seus direitos fronte aos abusos dos senhores feudais.

Se queredes mais informação do tema, no blogue http://asaltovimianzo.wordpress.com, toparedes toda a quepodades necessitar.

Os que moredes perto, animádevos. É umha verdadeira festa para não perder.

Esperamos-vos em Vimianço a tarde-noite do 4 de Julho.

Saudos irmandinhos.

22.gif

Anúncios

Saindo do poço

Padrão

al12col1.gifpós mais de dous anos sem saír, sem reagir, sem ter folgos para fazer vida normal, agora, de vagarinho, vou reguperando a minha capacidade de acção, a minha vontade, o meu gosto por me comunicar com o mundo.

Mas não é um processo fácil, que siga umha linha estabelecida.

O que tem a bi-polaridade é que umha fica sempre drogada polas suas próprias drogas interiores, que tomam o control e, então, pode ter umha sobredose de adrenalina, serotoninas, endorfinas, com as consequências de ansiedade, descontrol ou felicidade ou, pola contra, ficar com a síndroma de abstinência por dous anos, como esta última vez. Um vive, básicamente, vivido polas suas neuronas, que são quem marcam os seus estados anímicos, a sua capacidade de disfrutar, a sua possibilidade de comunicação com os demais. Mantem, se segue o tratamento e trabalhou com um bom terapeuta, a capacidade de auto-observação, mas não pode fazer nada por mudar a situação. Só esperar. Esperar com esperança de volver a sentir a calor do verão na pele da alma.

Logo, tem que se afazer a ver-se a sim mesmo ilusionando-se como umha criança com quaisquer cousinha, expressando a sua ledícia de viver em quaisquer lugar e hora, falando e actuando de jeito natural, sem barreiras nem filtros racionais, só com o sentimento, ou emocionando-se até as lágrimas com umha flor, umha pessoa que sofre, um bosque de àrvores frondosas, um cachorrinho.

Também há que se afazer a sentir vagas de adrenalina que nos afogam ante quaisquer pequeno problema concreto-fóbias-, a sensação de que, por momentos, a cabeça é umha massa de pão sem levedecer, sem forma nem estrutura, que não responde aos nossos requerimentos.

A bipolaridade é, a fim de contas, umha neurose maníaco-depressiva, que vai da depressão à manía e da manía à depressão sem que o nosso raciocínio possa exercer control nemhum sobre o processo.

Agora que estou de volta, que estou no caminho de saída do poço da mina dos tesouros, a ver se passo mais por eiquí, para compartir convosco mais cousas.

Quero agradecer de coração os agarimosos e positivos comentários que deixastes nos meus posts. Falam de vós e da vossa capacidade de valorar as cousas dos demais. Esso só o podem fazer as pessoas valiosas. Um só pode ver nos demais o que ele tem.

Vou-vos deixar umha canção que tem alguns anos, na que me vejo reflectida a miúdo.

Umha aperta-abraço- para todos e encantada de volver.


492-706