Tag Archives: flores

Flores ventureiras III. A digital

Padrão

al12col1.gif digital, Digitalis Purpurea, que na Galiza tem nomes populares como estalote,dedaleira, bilitroque e outros, é umha planta que medra nos nossos arrós, nas beiras dos caminhos ou a carom dos valados.

Tem umhas flores parecidas aos dedos, de aí seu nome. Em Vimianço chamamos-lhe estalotes, porque, as podes fazer estalar como se for umha saqueta de papel. Quando eu era umha criança, era um passatempo muito comum no verão, entre os rapazes. Juntar estalotes e jogar a ver quem era capaz de estalar mais flores da sua vara. As miudinhas da ponta, ainda sem abrir, eram as mais custosas. Tamém gostava eu de mirar como as abelhas entravam dentro da flor para zugar o néctar e só se lhe via o cû movendo-se arriba e abaixo.

Mais adiante, já de grande, a digitália ajudou-me a paliar a minha insuficiência cardiaca durante muito tempo, em forma de comprimidos de digoxina, ja que a sua substância é a base de muitos remédios para as doenças do coração -arritmias,insuficiências-. Consumida em doses elevadas, é mortal.

Aqui vos deixo umhas imagens da digitália, que seguro que é umha velha conhecida de todos vós. Ainda que é umha planta europeia, que gosta dos climas temperados, da sombra, e dos chãos húmidos e ácidos. Adapta-se com facilidade, mas não é invasiva. Agora cultiva-se como flor de jardim e já se conseguiram mais colores.

Agora que o penso:..” gosta dos climas temperados, da sombra, e dos chãos húmidos e ácidos. Adapta-se com facilidade, mas não é invasiva.”

Semelha umha metáfora da própria Galiza. Ademais, fai funcionar o coração. Podia ser a planta emblemática do nosso pais.

85.gif

Iris

Padrão

s9ij eguindo com as flores que comezam a florescer do mês de Maio, hoje vou vos presentar umha flor muito linda e significativa.

Umha flor que significava vida e resurreição no antigo Egito.

As culturas indiana e egípcia utilizaram o íris como símbolo da vida e a ressurreição. Tutmosis III (1504-1450 antes de Cristo) criou na cidade egípcia de Karnak, para realizar a conquista de umha ampla faixa da Ásia Menor, um esplêndido jardim com as flores e plantas que trouxe de sua campanha guerreira e escolheu as espécies mais exóticas para representá-las em uma obra talhada em pedra para o templo de Anon. O íris foi uma das flores selecionadas.”

Que aparece nos muros do salão do trono do palácio de Knosos, na antiga Creta.


Mas já três mil anos atrás, em Knossos, um artista desconhecido criou uma pintura com a
figura de um rei em umha das paredes do grande Palácio. Quando terminou, quis rodear
sua obra de magnificência e boato e não se lhe ocorreu outra maneira melhor de honrar a
pintura do monarca que rodea-lo de umha pintura que representa um espesso fundo de iris
em flor.”

Que é o emblema da França desde o século XII e das casas reais com origem francês,como os Borbões.

A “flor de Lys”. Que pintaram muitos pintores do Renascimento e tamem das preferidas de Vincent Van Gogh.

Através de Luis XI, o íris passou a fazer parte também do escudo de armas da
família florentina dos Medicis e por extensão de Florença e à Toscana. Devido
ao impulso mediceo às artes, o íris foi amplamente representado nas pinturas
e esculturas do renascimento e, por influência, na pintura flamenga, alemã e
espanhola, chegando nos quadros de Vincent Van Gogh, que sentia debilidade por esta
flor.”

Umha flor que tem multitude de variedades. Eu vou vos mostrar as que eu plantei este ano no meu horto.

São iris bulbosas. Tamem as há rizomatosas, mas essas são das beiras dos rios e lugares húmidos. As da pintura de Van gogh pertencem e essa espécie.

Eu plantei os bulbos na terra, alá polo mês de janeiro, e agora velaí estão, florescendo.

Para o ano que vem, volvem a medrar e mesmo pode que os bulbos filhem e deam mais flores ainda.

Sairam de várias cores e, como são moitas, fixe este slide para que as vejades todas sem ocupar tanto espaço.

WMt3OC530z-DwjUtnG4vNzxqZP1poMGo
76.gif


Primavera II

Padrão

PDois hoje vou seguir a vos contar como se percebe a primavera desde a minha janela e desde o meu horto.

Em primeiro lugar, aquí, diante da minha janela , tenho o pessegueiro, que, ainda hà dias deixava cair suas flores rosadas e hoje, os pequenos úteros florais cheios de óvulos e fecundados polos grainhos de pole amarelo, apresentam já sua forma redondeada e sua pele cuberta de pequenos pêlos de suave cotão.

A leira do lado, que fica em campo, cobriu-se de flores amarelas.

No recuncho arrimado à parede, as névedas-aromatiçadoras dos bolos do póte- comparten espaço com a salsa, polo meio das calas, os gromos de gladiolos e outras ervas que não se contem de se mesturar com elas.



No muro de pedra que limita o caminho, convivem as caléndulas com as pequenas margaridas. Umha vizinhanza harmónica e preciosa.

E o mais importante: A minha alma, vai volvendo a morar no meu corpo. De vagar, vou recuperando a vida.

Assim que, esta, é umha primavera que tem de tudo o que se precisa para ser umha primavera como deus manda,

Saudações primaverais desde A Galiza.

39.gif

Flores de Março.II Parte

Padrão

p9rzois é. Hoje vou-vos amostrar o resto das flores que estão a florescer no meu horto. Também o lindas que estão cortadas, adornando e aromatizando a casa.

Page_1

Page_2

Page_3

E remato com este video, onde se vem todas as flores, juntas em algum caso com outras do invernadoiro, mercadas aos cultivadores.

Espero que sejam do seu agrado:

85.gif

Flores que ainda não são

Padrão

q0psuando era umha rapariga e no meu colégio de freiras explicava o professor de física o que era a energia cinética e a energia potencial, não era quem de compreender o significado desta última.

Energia potencial…Algo que aparece estático aos nossos olhos, não pode ter energia…

Mais tarde, aprendi que os olhos não sempre percebem tudo o que passa ao nosso arredor.

Este ano, como é o primeiro que passo na casa, toca plantar plantas polo horto, para ter, nos anos que venham, as colores e os aromas das flores quando comece a primavera, como os tulipãs, narcisos, jacintos, anémonas, calas e demais que vos mostrtei onte.

Mas hà também inçadas pola horta, umha varas cheias de energia potencial, que me dou minha irmã da sua horta, e que, cada dia vou abesulhar para ver se a energia potencial se traduz em energia cinética de gromos, abrochos e incipientes folhinhas que me confirmem que, de verdade, existe polo método empírico.

O certo é que as varinhas vão-se comportando e tem seus gromos e suas folhinhas bem bichas, cada dia umha miguinha mais abertas.

Vou vos explicar três dos arbustos que tenho espetados em forma de póla no hortelo que pretende ser jardim.

A primeira, é umha flor de color branca, cum aroma tão delicado e dóce, que me leva até a minha infáncia, aló polo mês de Maio, quando a igreja se enchia de flores e eu, meninha, ficava borracha de aromas e de músicas, tal como ocorreria numha celebração pagã de há muito tempo:

O incenso, o Pange Lingua Tantum Ergo, que, como não sabia o significado, soava-me ao canto dos anjos do paraiso,tantum_ergo_1.mp3 e o aroma das celindas, umhas flores originárias do Caucaso e Arménia, mas que florescem na maior parte dos hortos e jardins da Galiza:

normal_celindas%201.JPG

As celindas, para mim, vão associadas ao mês de maio e a aqueles rituais adicados à deusa mãe, com sua coroa de doze estrelas e a lúa e a serpe aos seus pés:

Inmaculada.JPG

Adoro seu aroma e aguardo o momento de as ver florescer no meu horto.

Outra planta que também plantei, foi umha póla de pirliteiro, ou espinheiro alvar, planta que tem umhas flores tão delicadas e uns frutos vermelhos preciosos.

O pirliteiro, lembra-me os bosques e as beiras do rio, onde medrava salvagem na minha infãncia. Agora, com as repovoações de eucaliptos, já não se ve apenas.

Também me lembra o romance do Conde Olinos, quando ele e a sua princesa amante, são enterrados baixo do altar, por ordem da rainha, e dela nasce umha rosa branca, e dele um espinheiro alvar, que logo a rainha mandou cortar.

O espinheiro alvar é delicado, muda com as estações e é libre, polo momento. Ainda que espero que se acomode ao meu horto.

Velaí as imagens das flores e dos froitos:

Crataegus%20monogyna.JPG frutos%2Bdo%2Bpilrriteiro.JPG

Amanhã seguirei apresentando-vos as flores que ainda não são, do meu hortelo, que tem energia potencial para ser um jardim. Só falta que a transforme em energia cinética.

Onde andará o meu professor de Física?

top12fh9

Flores

Padrão

a9qfgora que vem a primavera, estão aí as flores petando à porta.

Algumhas já sairam, como os tulipãs, as calas, as caléndulas. No meu pequeno horto adicado a elas já tenho para fazer os ramos.Já não é necessário que o Suso merque cada quarta feira, no mercado, as flores que sempre gosto de ter arredor.

PICT1177Velaí as calas, os tulipãs e umha põla de pessegueiro

PICT1179Aquí, em troques de tulipãs, há duas anémonas do meu hortelo.

PICT1174Aquí três tulipãs plantados num curruncho

PICT1183As calas que vão abrir, rodeadas de salsa

PICT1184Um lírio presto para abrir sua flor.

PICT1185O pessegueiro

PICT1180E as humildes caléndulas, cujo óleo destilado, é do mais suave e curativo para a pele.
Outro dia contarei-vos mais cousas das flores: Lendas, utilidades…Se tendes um recunchinho, animade-vos a plantar. Dão muitas satisfações e muita beleça.

x1pgliP38XxBL3zaWrYqUFYk45OiK-kNXapeptRVR6_sSECLsVWATBq8SfmUdjEOFWg4dW2pHrDco0bXkAaS6dD5nf-9axVo-mN16laiRcPfolX6CZXvrIMebCUulgbJ5eIvvi8qI9UUmMi8LNENkXczw.gif